Notícia

Crises de rinite aumentam no outono

Publicado dia 04/04/2018

As mudanças bruscas de temperatura e a baixa umidade do ar são as principais características do outono. Além disso, é comum que, nesta época do ano, muitas pessoas se aglomerem em ambientes fechados e pouco arejados, o que contribui para doenças respiratórias como a rinite.— Com o clima mais seco do outono, a mucosa nasal fica mais desidratada, com maior tendência a irritações — explica Maria Leticia Chavarria, especialista em alergia e imunologia clínica e palestrante do Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia 2018.

A rinite é uma inflamação da mucosa nasal. De 20% a 30% da população brasileira têm a doença do tipo alérgica, segundo estimativas publicadas pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai).— Ela é geralmente causada por alérgenos inalatórios como ácaros da poeira doméstica, mofo, pólen e pelos de animais domésticos. E também por agentes irritantes, como a fumaça de cigarro, poluição ambiental e odores fortes, tipo de perfumes, produtos de limpeza — afirma a otorrinolaringologista Maura Neves.

Os principais sintomas são coriza, congestão com entupimento nasal, coceira, espirros, ardor ou irritação nasal. Durante as crises, uma das opções é utilizar um umidificador de ar para ajudar a hidratar as vias aéreas.— O ideal é manter o aparelho ligado em uma intensidade baixa, por períodos curtos, e uma porta ou janela aberta para escape — orienta Maura.

Como evitar

Manter o ambiente ventilado e realizar limpeza frequente com pano úmido;
Encapar colchões e usar revestimentos impermeáveis em estofados e almofadas;
Evitar tapetes grandes e carpetes, pelúcias, pilhas de jornais e revistas, madeiras e outros itens que retém poeira e mofo;
Trocar e lavar a roupa de cama com água quente pelo menos a cada duas semanas;
O travesseiro deve ser colocado no sol várias vezes por semana e trocado por um novo com frequência;
Passar o aspirador de pó em colchões, cortinas, tapetes e estofados semanalmente;
Manter animais domésticos fora de casa ou, pelo menos, fora do quarto de dormir.
Lavar as mãos após contatos com eles;
Cães e gatos devem tomar banho toda semana;

Fonte: Extra